"Santas as visões, santas as alucinações, santos os milagres, santo o globo ocular, santo o abismo." (Allen Ginsberg)

14.4.08

O Passado

"Le passé forme un tout, c'est impossible à diviser."
"No quiero hablar con ele culpable que confunde vivir con huir. Quiero hablar con el chico inocente. Si todavia está vivo, que golpee 3 vezes esta foto y yo le abro la puerta."
As mulheres governam os homens pensando no futuro. As mulheres imaginam ser algo para os homens além de mulheres, algo mais. As mulheres podem parir e criar homens e mulheres. Os homens apenas podem assistir e acompanhar as dores do parto literal e dos muitos outros partos subsequentes - processo de criação.
Os homens abandonam suas mulheres e procuram outras na tentativa contínua de ter prazer e afastar a solidão. Pura ilusão. Cada um pode ser apenas ele próprio, ainda que tenha a capacidade e o equipamento para se emendar a outros/outras.
Vídeo caseiro antigo sendo exibido aos queridos amigos. Quanto tempo... Tudo acaba e os filmes permanecem até serem esquecidos. Pó sobre foto. Tudo caos ao seu redor, divisão de bens. Tradução simultânea. Legendagem. Conversa no café, banho interrompido por carta. A memória, peculiar ilha de edição, não esqueça o passado, não esqueça o significado das palavras, não esqueça dela. Não esqueça de não se esquecer... Ne me quitte pas... Ne me quitte pas... Insaisissable... Não-te-esqueças-de-mim...
Entardecer na sacada. Cigarro queimando até a guimba, até o néon substituir o sol. Tempestade, enchente de arte, inundação de melancolia. Na areia da praia, luar de agosto, um par se abraça a beira-mar. Tocar o sino espantando os pássaros, fazer a cabeça sentado no chão, encostado no muro, de costas para o mar. Chocolate recebido das mãos de uma menina.
"Ce sont des reveurs, ceux qui confondent leurs songes avec la realité. Nous avons vu que la creátion d'une langue universelle repose fréquemment sur une certain nostalgie d'une langue originale antérieur à Babel."
Queda de pressão, beijo roubado atrás das cortinas, tapa na cara, correr em frente a um ônibus em movimento. Insônia: as recordações não lhe deixam dormir ou lhe acordam na metade da noite.
São São Paulo. Buenos buenos aires. Me hijo será mi continuacion?
Em cartaz: fita antiga com defeito na legendagem mas que ainda assim é projetada, pois há público interessado em vê-la.
Cuidado quando for rejeitar uma fêmea no cio. Elas sempre se vingam com crueldade. Uma mulher que quis ser amada e não foi pode acabar com a vida de um homem, jogá-lo na sarjeta. Ne me quitte pas... Ne me quitte pas... Não-te-esqueças-de-mim... Nunca... No te escordar de mi...
Você vê as misérias do mundo e se compadece delas? Você chora em frente ao seu televisor? Sente piedade dos seres humanos tratados como animais e dos animais mortos ou retirados do ambiente para o qual foram criados? E o que você tem feito para melhorar isto? Nada: assiste mais TV e se compadece mais. Um sono profundo. E quando virá o despertar? Como você se livrará do monte de lixo que vem produzindo durante toda a sua vida? Se não transformá-lo em algo útil ou belo, mais tarde ele voltará feio e tenebroso. O passado não pode perturbar o futuro.
E a saúde? Como cuidar da saúde? Não fumando? Não bebendo? Fazendo o possível para ter a mente quieta e não se jogar em frente a um ônibus em movimento por amor a um amor não correspondido? Se divertindo? Badalando na balada? Trepando a valer? Uma hora tudo isto não vai mais fazer sentido. E o que restará? Chutar o que o irrita? Destruir as coisas que você acha que não lhe são aprazíveis? Quebrar tudo? E depois o repouso no refúgio das grades da prisão: lavar banheiro de presídio. Até que alguém pague a fiança.
Quem? Aquela de quem antes você sempre quis distância, mas que sempre lhe quis ao lado, bem comportado, como um cão doméstico. E agora, sob pena de tortura e de ocaso, você só pode ser dela e ela lhe tem depois de tanta árdua batalha. Ela o (re)pescou e o exibe orgulhosa a todas as outras mulheres que o desejam tanto.
As fotos. Coloque legendas atrás das suas fotos impressas para não esquecer os nomes daqueles rostos. Olhe-se no espelho para não se esquecer quem você é. Para imaginar como estará seu filho da próxima vez em que o vir.
Não tenha medo. Venha. Arrebate-se. Renda-se a esta espécie de desmaio: dois corpos estendidos lado a lado numa cama, ambos de barriga para cima, olhando para o teto. Ela, nua e receptiva, alva e libidinosa; ele, elegantemente trajado num smoking, excitando-se cada vez mais. Cobre a mulher repentina e levemente, abre o zíper, penetra-a e goza. Rápido mas satisfatório. Logo virão outras. Ergue-se, fecha o zíper e vai embora, fechando também a porta atrás de si. Ao futuro d'O Passado.
imagens e textos 1 e 2 . El Pasado, de Hector Babenco, Argentina / Brasil, 2007
texto 3 . Matheus Matheus

Marcadores:

1 Comments:

Anonymous ana said...

eu não sei dizer... nada por dizer... então eu escuto...

7:14 PM

 

Postar um comentário

<< Home