"Santas as visões, santas as alucinações, santos os milagres, santo o globo ocular, santo o abismo." (Allen Ginsberg)

29.11.06

crianças invisíveis

- Após presenciar a morte de seu amigo numa guerra desigual onde crianças se transformam facilmente em soldados, menino negro tem como missão colocar uma bomba numa instituição de ensino. Enquanto instala a futura explosão ele reflete sobre outras explosões que aconteceram anteriormente em sua vida e na vida dos que o cercam – explosões morais e materiais que o levaram àquela situação. Seria preferível que ele estivesse sentado num daqueles bancos aprendendo alguma lição menos cruel. - Filho de ciganos comete furtos e outros pequenos delitos para sobreviver. Este é o episódio mais leve do filme – é possível dar boas gargalhadas com o divertido coral e seu maestro desastrado. - A vida de Blanca é conturbada. Seus pais são junkies e soropositivos e o HIV parece ser a única herança que eles lhe legaram. Em casa, Blanca vive num ambiente carregado pelas constantes discussões e freqüentes picadas dos pais. Na escola, sofre preconceito das crianças saudáveis de corpo mas extremamente doentes de espírito. Tudo começa a piorar mais ainda quando Blanca se pergunta o que aconteceria se ela deixasse de tomar seus remédios. O amor surge do caos e do risco. - Nas ruas de São Paulo um casal de irmãos se vira da maneira que pode na esperança de comer batata frita no dia seguinte – a maior regalia que podem conceber. Tudo vai dando cada vez mais errado e eles se deparam com inesperados percalços para atingir seus objetivos. Trilha final de Tom Zé. - Conceituado fotógrafo traumatizado de guerra embarca numa viagem surreal revendo seus amigos de juventude volta a ser pequeno, encontrando outras crianças pouco felizes marcadas pela tristeza e pela dor reflete sobre o mundo, sobre a guerra, e sobre aquilo em que os homens se transformam quando crescem – tão diferente do que sonhavam quando pequenos. - No interior da Itália, jovem rouba pequenas preciosidades e as vende para o dono de um parque de diversões. Na hora de usar os brinquedos do parque, se sente tão cansado que nem brinca. Seu comparsa, também bem jovem, o chama: - Vem brincar! Deixa de ser criança... - Uma rica e jovem pianista joga no lixo sua boneca que não tem utilidade porque não tem com quem brincar. Um catador de lixo acha a boneca no mesmo lugar onde antes tinha achado um bebê e a entrega a sua filha adotiva. Estas são as sinopses dos sete episódios que compõem este mosaico melancólico sobre crianças de vários países que têm em comum a pouca idade e a batalha constante e diária pela sobrevivência. Todas estão envolvidas em guerras oficiais ou particulares, e de algum modo tentam superá-la. Cada episódio é (bem) dirigido por um diretor conceituado em seu país. É importante analisar cada episódio isoladamente, sem pretensões de escolher o mais bonito (todos são lindos esteticamente) ou o mais importante (todos são profundos ideologicamente), para depois compor na mente a conclusão geral que é de alerta aos que vivem (ou não) nestes países.
Imagem . All the Invisible Children, Itália, 2005, Direção: Mehdi Charef, Kátia Lund, John Woo, Emir Kusturica, Spike Lee, Jordan Scott, Ridley Scott e Stefano Veneruso
Texto . Matheus Só

Marcadores:

1 Comments:

Blogger Paula Ribeiro said...

esse projeto é muito bacana, mas ainda não consegui assistir [aff].

beijos!

10:06 AM

 

Postar um comentário

<< Home