"Santas as visões, santas as alucinações, santos os milagres, santo o globo ocular, santo o abismo." (Allen Ginsberg)

17.9.09

ControL

CONTROL Transpirar Pirar Irar O ar Ian irava Piradíssimo Derretendo no palco Inconformado Melancólico Bucólico Crepúsculo alaranjado Em preto & branco

Respire Este ar enfumaçado de chaminé de cigarro de gelo seco Fotografia seca Ideologia seca Uma música sem melodia Sem harmonias Uma música sem floreios Como a vida Como a morte Como a sorte deste artista

Uma não-música Uma anti-melodia Meio que um manifesto Contra a festa dos embalos de sabadábado Contra a alegria multicromatada hipster Contra a alegoria estandártica punk Não faz bem Mas não é ruim Não tenha medo Não tenha medo não Nada é pior do que tudo Que cabe dentro dum coração É sujo É feio É malvado Mas é belo Muito belo E meio triste por inteiro Não é feliz É verdade Mas tem o peso Da verdadedos prazeres desconhecidos dos amores & dos amigos da imensa solidão de uma festa sem noção Alma forte Enfraquecida Pelos estímulos da vida O tempo todo Um cansaço Uma falta de espaço De não caber dentro de si E precisar mexer os braços Freneticamente Poética mente

O tempo todo Um cansaço incontrolável Um abraço insuportável Uma falta no futuro

Horizontes: De tão perto ficaram distantes Ian indo pelas ruas E encontrando novidades Por que não prová-las Melar os lábios com um sabor meio amargo E tomar um trago pra tirar o gosto

Festa estranha Gente esquisita Vida de bala Vida birita Muita coisa que antes eu não entendia direito Agora entendo E não vejo graça nenhuma nisso. Ian não teve tempo de entender - foi preservado? se preservou?

Eu agora sou mais velho do que Ian era quando se foi Agora eu sempre serei mais velho que ele Um silêncio sem motivo Longas pausas extraviadas De palavras triviais Planos vazios Diálogos frios Numa tela imobilizada Uma música sem som Uma falta de calor Um frio Um frígido Um torpor constante Um odor desconcertante E pavor durante certas apresentações :colapso do teu corpo eclipse dos teus olhos preza sem trégua charme blasé glamour às avessas HÁ COISAS QUE O DINHEIRO NÃO COMPRA! DECADÊNCIA: NÃO TEM PREÇO. Explosões dentro de um nobre coração O público perplexo Anestesiado Extasiado Pedindo mais e mais e mais Sempre querendo um pouquinho mais do sucesso e do fracasso do Ser Especial

:assim surgem os mitos: Ian nem isso nem mito mas minto Mentir sabia Precisava até Para uma ou outra mulher por carência por covardia pelo hábito Para o público Uns espasmos Sinceros? Mas de qualquer forma bem belos

E atenção! Após os comerciais As convulsões inevitáveis... Escrever de modo selvagem Obsessivo Como seria a letra de Ian? Ian não sabia datilografia Seu método era com extremo vagar De seu próprio punho Rimas pobres Maus poemas Versos nobres Bons dilemas Muita poesia em torno do artista Muita poesia nos olhos do artista Muita poesia na voz do artista Muita poesia nos pés do artista Muita poesia nos jogos de azar do artista Muita poesia no pesar aparentemente sem motivo do artista Muita poesia na banda do artista, que não vale porra nenhuma sem O ARTISTA Muita poesia na trajetória impecável e límpida como os olhos do artista E o desfecho inevitável Previsível até Porque ele não fez a menor questão de rir o riso de vocês texto . maTheus maTheus imagem . iaN curTis

6 Comments:

Blogger josi stanger said...

Matheus! quanto tempo! Mas quando aparece, capricha na foto e nos olhos... um olhar diz muito e se os olhos são as janelas da alma, este deve estar lavada...límpida.

um abraço
Josi

5:51 PM

 
Blogger ana f. said...

quem dera as janelas da alma do ian fossem realmente límpidas... olhos tão lindos, moço tão lindo e alma tão conturbada... mas isso também não é anti-lindo.. o amor é sempre bonito, mesmo quando se disfarça de hate numa camisa...

9:00 PM

 
Blogger marcos assis said...

http://impressaocrua.blogspot.com/2009/09/um-poema-com-teu-nome.html

9:22 PM

 
Blogger marcos assis said...

estou lendo caio:
http://cardeo.blogspot.com/2009/09/sabe-aquela-chuva-estranha-que-deu-hoje.html

um pouco de culpa sua.

9:22 PM

 
Blogger ana f. said...

puta que pariu, matheus! assim você me espanta! poesia mais linda, menino!

11:59 PM

 
Blogger Ingrid Mclean said...

Uauuu... isso td vem do Matheus Matheus!?

12:29 AM

 

Postar um comentário

<< Home